segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Ôh, Zé! Só dá Flamengo nesse fluzuê?

Ano passado, apesar do empate no tempo regulamentar, o Flamengo terminou como campeão na disputa por pênaltis contra o mesmo Botafogo. Ontem, jogando com uma rara raça de se ver em suas disputas, virou o jogo, botou o Botafogo de quatro e... crau! Foi um 2 x 1 pra ninguém botar defeito, porque foi de virada e foi um jogo duro e polêmico, com os jogadores do Botafogo chiando um tempão, mas tendo que sossegar o rabo diante a decisão do juiz, ao qual as más línguas dizem que também deveria receber uma faixa de campeão.
Diego Tardelli (na foto aí do laldim babanu na taça), atacante do rubro-negro e introduzido no time no segundo tempo, numa derradeira jogada que parecia completamente despretenciosa, um pouco antes do último suspiro do cronômetro, quando a partida perigava ser novamente disputada na base dos pênaltis, mandou essa possibilidade que queria se repetir pela 6ª vez entre os dois contendores pros quintos dos infernos e marcou o gol da virada e da vitória aos 46 minutos.

Com isso, o Flamengo ontem se sagrou bi-campeão da Taça Guanabara, sendo este o seu 18º título nas refregas desse campeonato. Saudações tricolores!

Como eu havia dito em crônicas bem recentes neste meu brogui, aqui e aqui, assisti ao jogo ontem pela tv, pelos motivos nelas explicados, muito magoado porque o meu Fluminense não estava disputando mais essa final e porque dançou de odalisca contra o Vasco no seu último jogo.

Pois bem! Fui pro meu boteco e fiquei só urubuservanu num canto, tomanu umas Capelinhas, só na minha, fingindo que estava torcendo pelo Fla, mas o que eu queria mesmo era que o Botafogo levasse fumo, o que só poderia me levar a torcer pro Flamengo, querendo, ou não. Não devo, portanto, a bem da mais crua e verdadeira verdade, dizer que estava apenas fingindo torcer.

Havia umas 80 pessoas lá, sem brincadeira, misturadas entre torcedores dos dois times e um monte de bicos de luzes! Tudo correu normalmente, saí de lá incólume e devidamente turbinado pela quantidade de pinga que vi os outros bebendo. Papagaios! Como os caras bebem e como eles agüentam ficar de pé depois de umas dez dozes de pinga! E olha que a dose é caprichada e servida em copo americano. Nesse ponto, devemos louvar os donos do bar que, apesar de conhecidos munhequentos, dadas as suas origens lá pelos cafundó de algum grotão de Bulhões, não são necessariamente mesquinhos aos servirem cachaça aos seus clientes: colocam logo uns 80 ml em cada copo. E por apenas R$ 0,70 a dose. Com o andar modorrento da carruagem, já viram no que pode dar... Sai todo mundo de lá tropeçando nas próprias pernas!

I bibida prus músicus!

2 comentários:

Gustavo disse...

É isso aí meu pai, parabéns pela homenagem ao FLAMENGO.

Araços.

Gú.

Norival R. Duarte disse...

É isso aí, meu filho Gustavo!
Você sabe que não tenho nenhuma frescurada aloucada ou uma paixão fechada pelo meu Fluminense.
Tampouco pela Seleção Brasileira.
E eu quero mais é que os flamenguistas, vascainos e botafoguenses comemorem, como sempre o fizeram, com bastante estardalhaço, todas as vitórias que os seus times conseguirem. Desejo, naturalmente, extensivo aos meus amigos tricolores.
Abração e beijão de seu amigo e pai, Norival.