quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Eita, tempinho bom!


4ª-feira de cinzas, 10:00 hs. Em Resende, chuvinha teimosa, céu totalmente encoberto, 23 °C ali pra fora da janela, do meu lado esquerdo. Alguém telefonou, minha esposa atendeu, o telefone fica logo ali atrás da parede, do meu lado direito, era uma amiga dela, ficaram uns 15 minutos conversando sobre o tempo “horrível” dos dias passados, do tempo do momento e das previsões para os próximos dias. Minha esposa aproveitou e falou sobre o tempo em São João Del Rey, terra da minha querida norinha Lígia, disse que lá também estava um “horror”. Aí ela continuou: “- Aí também? Nossa Senhora! Parece que é no Brasil inteiro, tirando o Nordeste! Você viu lá na China? Nossa! Coitada daquela gente, né? Aqui choveu a noite inteira! Aí também? Não diiiiiiga? Você viu o que a chuva fez em Petrópolis? Deslizamentos de terra, desabamentos de casas, soterramento de pessoas... Deus me livre! E aquele rio lá em Mesquita ontem! Onde já se viu, menina?".

E seguiram nessa carruagem, da qual desci no primeiro momento em que consegui me desligar mentalmente da telefonação.

Que coisa! Como se perde tempo conversando sobre o tempo, se está chovendo, ou não, se vai continuar chovendo, ou não, já está chovendo há tanto tempo! Será que vai parar de chover? Quando isso ocorrerá? E, cúmulo dos cúmulos: será que depois o sol aparecerá?

Reclama-se quando está calor, reclama-se mais ainda quando essa chuvinha chata teima em permanecer por dois dias, por uma semana, por uns 10 dias.

Ora, bolas! Vão perder tempo assim lá na casa do Inácio! É assim, tem que ser assim, será sempre assim!

Pra mim, o tempo sempre está bom, com sol, com chuva, com garoa. Nada do tempo me incomoda. Agora, quando começa a cair relâmpagos na região, então não apenas fico de orelhas em pé, mas, à apresentação luminosa do primeiro, não precisa ser nem auditiva, desligo meu PC, o que demora uns 40-50 segundos, e corro pra desligar a chave geral da minha casa. Já tive muito prejuízo com os raios que me partiram!

Agora, já imaginou se você morasse no Pólo Norte, ou no Pólo Sul, e da varanda da sua casa, ou daquela saída, aquele tunelzinho que mais parece uma toca do seu iglu e que na verdade se chama, segundo o dialeto dos esquimós, "mnbriigrr" (Pronuncia-se mnbriigrr, mesmo!) se apresentasse uma paisagem como essa aí de cima? Haja pinga, ou conhaque, ou vinho quente, como é de hábito em Curitiba, pra matar o frio! Mas, repare bem: num raio de alguns quilômetros não se percebe nenhuma placa de Coca-Cola a indicar que por ali exista um botequim! Você teria apenas que tomar as suas precauções e manter a bebida em estoque dentro do seu iglu.
---
(Cacete! Tenho que ir ao banco, essa chuvinha nazarenta não para, meu filho pegou o carro, não uso guarda-chuvas porque acho que é coisa de velho, tem aquela marquise que qualquer dia desses... na frente dela tem aquela baita poça d'água que nunca seca...).

I bibida prus músicus!

6 comentários:

Fernando disse...

Oi, Norival/Norrival,
seguindo suas solicitações, que funcionaram pra mim como uma "ordis", linkei seu novo blogue Norrival.
Espero que a sequência continue à altura do Ó Pa...
Faz tempo que eu també penso em alguma alteração, digamos modernizção, talvez aliviando o peso atual do Obs., mas tenho relutado.
Como,além do seu, tenho viso várias revisões em outros blogues amigos, vou pensar mais seriamente no assunto. Quem sabe?
abração
fernando cals

Lord Broken Pottery disse...

Norival,
Gostei da cara da nova casa. Me identifiquei com você, só que embora não use guarda-chuva, por também considerar coisa de velho, não deixo de carregá-lo na mochila, que é coisa de jovem.
Grande abraço

Norival R. Duarte disse...

Obrigado, Fernando, pela sua visita, a primeira deste blog!

Obrigado por ter permitido que eu continuasse a ser indicado na sua lista de preferidos. É uma honra para qualquer blogueiro que se preze.

Seguramente que continuarei na cadência e na seqüência do O pa qui, ó..., mesmo porque, em ambos os casos, tudo o que lá publiquei e aquilo que aqui publicarei refletem toda a minha personalidade. Só que aqui, no Norrival, pelo fato de ser colaborador online do Site Oficial de Resende, tenho que ajustar a minha escrita a uma página que não me pertence. Tenho amarras, que nunca me foram impostas, mas que me impus, e eu, honestamente, me sinto lisonjeado em participar dele agindo desta forma.

Quanto ao seu blog, é de sua a decisão de o quê fazer com ele. Se fosse meu, não faria nada, porque o considero um dos mais bonitos visualmente, entre centenas dos que tenho visto nas minhas navegadas na Internet. E saiba que tenho uma lista de mais de 10.000 blogs do mundo inteiro e todo dia visito uma meia dúzia deles, só pra tomar conhecimento das suas formas e assuntamentos, quando entendo da língua correspondente. Com as figuras, nenhum problema: entendo-as todas, de qualquer parte do mundo. He-he-he!

E não encheria mais a sua bola salvo para dizer-lhe que, apesar do visual bonito, o melhor dele é o seu conteúdo, pelo inesperado com que ele nos surpreende, sempre de bom gosto, até quando você fala do Flamengo.

E eu daria tudo para ter na cabeça do meu blog o mesmo visual do seu, aquele olhar perscrutador que lá está e que acho que deve ser de foto sua.

Um grande abraço, querido amigo. E seja sempre benvindo!

Norival R. Duarte disse...

Obrigado, Lord Broken Pottery, pela sua visita, a segunda deste blog!

Achei espetacular a sua saída de carregar o guarda-chuvas na mochila que, como você disse, é coisa de jovem. Vou pensar no assunto com todo carinho, mesmo lutando contra a birra que tenho em carregar qualquer coisa. Até a minha mulher de vez em quando me enche o saco, insistindo para que ande sempre de mãos dadas com ela, mesmo quando o vai-e-vem de transeuntes na calçada está parecido com trilha de formigas.

Um grande abraço, querido amigo. E seja sempre benvindo!

Gú disse...

Pai, você é incrível.

Te amamos.

Norival R. Duarte disse...

Falou, Gu!

Obrigado pela visita, meu filho!

Vem pegar um angu com carne-seca no almoço amanhã, aqui em casa! Não precisa trazer Coca-Cola, pois vamos fazer aquele refresco de uva. Aquele de vinho Sangue de Boi misturado com água, mais um pouco de açúcar e gelo. Lembra-se?

Beijão procê, pra Helena e pra Duda!

Inté.