terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Foco no problema e foco na solução

O sujeito vai ao psicólogo.

- Doutor - Diz ele. - estou com um problema: toda vez que estou na cama, acho que tem alguém em baixo; aí eu vou pra baixo da cama e acho que tem alguém em cima. Então, fico assim: pra baixo, pra cima, pra baixo, pra cima. Estou ficando maluco!

Deixe-me tratar de você durante dois anos. - Diz o psicólogo. – Venha três vezes por semana e eu curo este problema.

- E quanto o senhor cobra? - Pergunta o paciente.

- R$ 120,00 por sessão - Responde o psicólogo.

- Bem, eu vou pensar - Conclui o sujeito.

Passados seis meses, eles se encontram na rua.

- Por que você não me procurou mais? - Pergunta o psicólogo.

- A 120 paus a consulta, três vezes por semana, durante dois anos, ia ficar caro demais, aí um sujeito num bar me curou por 10 reais.

- Ah é? Como? – Pergunta o psicólogo.

O sujeito responde:

- Por R$ 10,00 ele cortou os pés da cama!

Moral da história:

Muitas vezes o problema é sério, mas a solução pode ser muito simples, porque há uma grande diferença entre o foco no problema e o foco na solução. Pense nisso!

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Brigado, Ângela!

- I bibida prus músicus!

5 comentários:

Aninha Pontes disse...

Minha mãe dizia que a necessidade é a mãe da criatividade.
Cada um, sabe onde seu calo aperta né?
Um abraço.

Conceição Duarte disse...

Meu querido, nem precisa perder tempo com suas mandingas... Já to em casa!!! O médico disse que posso viver `a vontade, o "cuore" tá forte, firme, e pronto para amar tudo desta vida!
Fiquei feliz em ver vc por lá torcendo por mim! Muito, muito e mil vezes obrigada!

Super bjus!

Connnnnnnnnnn depois volto aqui, to de repouso e vamos falando!

valter ferraz disse...

Norrival,
muito boa essa. A solução é a simplicidade.

Norival R. Duarte disse...

Queridos Aninha e Valter:

Concordo plenamente com as máximas citadas por vocês.

Abraços, Norival

Norival R. Duarte disse...

Querida Conceição:

Kibon, Kibon, Kibon! Di nada, di nada, di nada!

Mas tenho certeza que o meu saravá, mesmo a 400 kg de distância, deve ter colaborado pra que tudo corresse bem. É um novo recorde!

Te cuida, menina! Saúde é o que importa!

Beijoca também procê!