terça-feira, 25 de novembro de 2008

Sai foooora, Capeta!

Este cartoon que capturei no blog Varal de Idéias, do meu amigo Eduardo P. Lunardelli, é deveras gozado e retrata bem uma das maléficas conseqüências pelas quais fumantes ativos e passivos estão sujeitos no decorrer das suas vidas, maaaas, o ato de fumar não é assim tão catastrófico como todos os não fumantes pensam. Analisando criticamente o ato de fumar e sua correlação com a impotência sexual, esta é menos pavorosa e indesejada do que um câncer no pulmão ou de outros órgãos, menos também do que a amputação de pernas, de um ataque cardíaco, e por aí segue a procissão de doenças pertinentes.

A gozação retrata bem a enorme arma de pressão psicológica que existe mundialmente sobre nós, honestos fumantes indefesos, quase que uns coitadinhos, entre tantas outras que existem e que estão sendo permanentemente boladas pelos inimigos impiedosos do tabagismo, gente que nunca sentiu o sublime prazer de fumar um simples cigarrinho depois de uma boa e caprichada trepada e que ficam sempre martelando sob nossas vistas e ouvidos sobre os efeitos danosos do cigarro. Meio que sem jeito, um pouco envergonhado, até, mas obrigado a erguer bem alto a bandeira inderrotável pelo nosso direito de fumar e não conseguindo me conter calado, digo na cara de pau: com a idade, todo mundo vai ficando brocha, homens e mulheres, uns mais acentuadamente, outros menos, e isso independe se se fuma ou não. Com isso todo mundo concorda, certo? E eu afirmo, em alto e bom som, que do alto dos meus 64 anos de idade, 50 dos quais carregando um pito na boca - atualmente estou na marca de dois maços diários -, nunca tive sérios pobremas de ereção. Bem, falando sério... Bem, falando honestamente... Seria como se eu... Bem, negóss siguinte: até hoje permaneço dando “x” menos “y” pimbadas por ano, sendo “y”, percentualmente, sempre menor do que 1, podendo chegar a quase 1 quando bebo, mas isso é outra história. Não é legal?

- I bibida i fumu prus músicus, pur conta dus fabricanti di cigarru!

5 comentários:

CONCEIÇÃO DUARTE disse...

heheh vc é arretado homem! Teu humor e tua cabeça aberta faz qq coisa de bom comvc, pensa que isto não conta?


Quanto a ereção, também é comprovado nos casos dos fumantes, que o fumo, possue uma gordura que acaba por complicar o tráfego livre do sangue me nossas veias, aí está a explicação para que a ereção seja prejudicada, pois no penis, o que faz com que ele se mantenha ereto é o sangue e nada mais. Mas sua saúde é de ferro! E isto é tudo de bão! Parabéns, e aos outros mortais, que observem como funciona seu corpo, sua mente e seu pau! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Veja suas preferências, e mande bale! To certa?
Bjus CON

Eduardo P.L disse...

Gostei do ADJETIVO ARREETADO da Conceição!
Meu prezado amigo, pelo sim, pelo não deixei o cigarro e depois os charutos, porque é sempre melhor prevenir do que...brochar! rsrsrs!
Agradeço sua visita, simpático comentário e exagerados elogios aqui na postagem!

Forte abraço

Norival R. Duarte disse...

Olá, Conceição!

Para reduzir os efeitos maléficos da gordura do fiadasunha do fumo, criaram-se os cigarros ligth, que são semelhantes a leites ligth, cafés descafeinados, sabonetes sem soda cáustica e outras baboseiras. Não servem pra porcaria nenhuma! Seria algo semelhante a sapato sem sola, ou pastel sem recheio, ou macarronada de repolho.

Grande abraço.

Norival R. Duarte disse...

Caro Eduardo:

Admiro muito as pessoas que conseguiram para de fumar, honestamente, mas eu gosto de fumar, adoro fumar, tenho imenso prazer em fumar, nunca vou parar de fumar, e se eu ficar sem cigarros fico com a impressão que o mundo vai acabar.

Obrigado pela visita e volte sempre.

Grande abraço

Anônimo disse...

Quanta conversa pra lá e pra cá sobre o fumo.Lógico que o dependente químico do fumo se defende,mas cara, só a catinga do cheiro da combustao de cigarros, fumaça e outros detritos representam algo intoleravel.Nem mesmo uma grande parte dos fumantes toleram.Já fui fumante e tive dificuldade p/deixar o famigerado vício. Fui iniciado nos velhos tempos, quando era charmoso fumar e os artistas do cinema e outros ídolos nos estimulavam a prática. ERAMOS INOCENTES!
Não dispunhavamos das informações e pesquisas centíficas e dos avanços da medicina que temos. Hoje percebo que fui vítima escravisada pela nicotina desse falso prazer asqueiroso e nocivo. Acho que só não vê quem ainda utiliza as tapas do vício, que são difíceis de serem removidas.Dependência química, social e psiquica é uma chaga pesadérrima.Isso não invalida o seu
trabalho. Respeito com restrições. Abçs.ZéAlmeida.