sexta-feira, 10 de julho de 2009

Trato é trato - 1

O japonês estava em uma festa, quando viu uma loira maravilhosa. Ficou louco de vontade de paquerá-la, mas o problema é que estava receoso, pois tinha o pinto muito pequeno. Depois de um tempo de indecisão, resolveu investir.

Aproximou-se e puxou conversa. Tanto fez que conseguiu levar a loira para um lugar mais reservado. Mão pra lá, mão pra cá, o clima esquentando, e o japa disse:

- Deixa, vai?

- Não, de jeito nenhum!

- Deixa, rapidinho...

- Não! - Disse ela, irredutível.

- Vai, deixa! - Só a pontinha, só a pontinha...

- Tá legal! Mas só a pontinha, hein?

Como ele tinha o pinto pequeno, não pensou duas vezes e colocou tudo, sem que ela visse o dito cujo.

Ela adorou a sensação e gritou louca de tesão:

- Ai, que delícia! Coloca tudo, vai!

Ele parou e disse:

- Não senhora! Trato é trato!

- - - - - - - - - - - - - - - -

- Fonte: De um email de meu amigo César Rosa

- I bibida prus músicus!

2 comentários:

Eduardo P.L disse...

Trato é trato.Né?

Norival R. Duarte disse...

É isso aí, Eduardo!

Escreveu, não leu, o pau comeu!

Grande abraço.